MTC e Obesidade

.A obesidade segundo a Medicina Chinesa, é associada ao elemento terra. A Terra tem como órgãos correspondentes Baço/Pâncreas e Estômago. A função do baço é a de metabolizar a umidade, caso isso não aconteça ela se transforma em mucosidade o que gera a gordura corporal. Dentro disso encontramos as síndromes que identificam a obesidade sempre relacionada à dissolução da umidade e mucosidade.
Algumas considerações sobre a obesidade, como a má alimentação, com excesso de doces e gorduras saturadas. Fatores genéticos também contribuem, além do fator emocional e do sedentarismo. A respeito do emocional se relaciona com a preocupação, ruminação e manias, emoções que caracterizam a retenção de pensamentos e indigestão de fatos sinônimos da umidade. Segundo a MTC temos quatro tipos de obesidade.

 

Tem a umidade as características semelhantes ao final de verão, já que dentro dessa estação, com a particularidade de ser o final das estações com predominância YANG, e a passagem para predominância YIN.

Esse momento de preparo para uma passagem a uma algo menos YANG traz á tona a ansiedade, e o excesso de ansiedade se torna se torna uma obsessão, ruminação ou ate mesmo uma mania, que é uma atitude extremamente YANG, que necessita de uma interferência YIN das próximas estações, para se equilibrar.

A ansiedade e obsessão levam a pessoa a um desequilíbrio no ato de ingerir alimentos, ou se come excessivamente (o mais comum) ou nada lhe apetece o que se torna também um grande problema. O estomago, baço e pâncreas são à base do aparelho digestivo na recepção e assimilação do alimento no corpo, e nessa estação estão mais sensíveis e facilmente apresenta distúrbio no ciclo do stress, gerado pela ansiedade e desgaste de energia.

Esses órgãos são os que primeiro digerem o alimento, e só o farão harmoniosamente se a pessoa estiver “digerindo” bem as situações atuais semeados por si própria.

Os chineses sabem que o corpo está fora de equilíbrio quando há o excesso de peso, o mesmo ocorrendo com a falta de peso. Alguma gordura é absolutamente necessária para que o corpo seja capaz de digerir e metabolizar os nutrientes. O excesso de gordura no corpo interfere no movimento correto e natural do ki e dos fluidos, especialmente através do trato digestivo o que na medicina ocidental corresponde ao linfoedema que tanto atormenta a vida de certas mulheres e ate homens.

O ganho de peso e o edema são estados que indicam que o fluxo de ki estará bloqueado. As células de gordura se enchem de fluidos e os órgãos que eliminam os fluidos e toxinas deixam de cumprir a sua função. Isso significa que não só o estômago e o baço mas também o fígado e as glândulas supra-renais estão fora de equilíbrio, que estes não fazem parte do elemento Terra mas um corresponde a o elemento dominador e o outro o dominado conforme a lei dos cinco movimentos.

A aplicação da acupuntura no tratamento da obesidade é eficaz em obter a perda de peso, pois afeta o apetite, o movimento intestinal, o metabolismo e fatores emocionais, tais como o stress e o excesso de preocupação sem necessidade.

Maior atividade neural do hipotalâmo, no tônus da musculatura lisa do estômago e nos níveis de encefalinas (neurotransmissores narcóticos secretados pelo encéfalo), beta endorfinas, e serotonina (substância neurotransmissoras existem naturalmente em nosso cérebro e, como tal, serve para conduzir a transmissão de uma célula nervosa (neurônio) para outra). Observou-se que a aplicação de acupuntura em obesos aumenta a excitabilidade do centro dos núcleos ventromedial do hipotálamo relacionado com a saciedade da fome e da sede e tranqüilidade.

Ambas atividades foram mostradas ao tônus aumentado no músculo liso do estômago, assim suprimindo o apetite. Entre outras coisas, a serotonina realça a movimento intestinal. Controla também o stress e a depressão através da produção de endorfinas e de dopaminas. Além destes efeitos, pensa-se que o aumento em níveis do plasma de beta-endorfinas após a aplicação da acupuntura pode contribuir à perda do peso de obesos mobilizando os depósitos da energia do corpo.

Pela prática clínica a acupuntura as pessoas vem razoavelmente reduzindo o peso em se tratando de obesidade simples devido à regulação neuroendócrina da acupuntura, onde esta pode inibir as funções digestivas, reajustando o centro de alimentação do hipotálamo, obstruindo a transmissão da mensagem da fome no hipotálamo, e normalizando a disfunção, assim inibindo a ação do nervo simpático e reforçando a do nervo parassimpático, ativando o metabolismo e o aumento do gasto do consumo de energia, apressando acima o catabolismo lipídeo, o que reduz conseqüentemente o peso. Este método é livre de efeitos colaterais, diferentes de outros tratamentos.

A etiologia e patogenia da obesidade em medicina tradicional chinesa (MTC), têm um relacionamento com a constituição, hereditariedade, idade, sexo, emoções e estilo de vida do indivíduo. Em MTC, doutores acreditam que a etiologia pode ser divida em deficiência e ou excesso. O tipo adicional é devido à entrada excedente do alimento, ou consumo excessivo do álcool. Estes fatores podem causar a estagnação da essência e da gordura do alimento. O tipo de deficiência é resultado à deficiência de ki do baço-pâncreas, ou deficiência de ki do rim. A deficiência de ki conduz ao excesso do yin, que governa a figura do corpo. Os indivíduos gordos são geralmente dessa maneira pela deficiência de ki. Em uma palavra, a obesidade tem uma relação com o metabolismo do pi (baço) e do wei (estomago). Além, há causas congênitas podendo ser obesidade natural.

Padrões que Levam a Obesidade

Clinicamente em acupuntura a doença se manifesta conforme o padrão da sindrome,  se constituindo de excesso ou deficiência, pelo qual, leva a uma desarmonia do equilíbrio biofisioenergético, e através dos sinais e sintomas avaliados se pode encaixar a patologia no elemento e diagnosticar a gravidade da síndrome, de acordo com estes padrões de desarmonia energética.